Exportar este item: EndNote BibTex

Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://tede.ufam.edu.br/handle/tede/3412
Tipo do documento: Dissertação
Título: O Programa Saúde na Escola sob o olhar dos Gestores, Educadores e Participantes: Um estudo no município de Manaus
Autor: Uchoa, Rita de Cássia Matos de Figueiredo 
Primeiro orientador: Higuchi, Maria Inês Gasparetto
Primeiro coorientador: Taveira, Adriana Tavares de Albuquerque
Resumo: Há algumas décadas, a escola tem sido considerada como cenário propício às ações de promoção à saúde. No Brasil, o Programa Saúde na Escola (PSE) foi instituído pelo Decreto presidencial Nº 6.286, de 5 de dezembro de 2007. No município de Manaus a adesão deu-se no ano de 2008, com o início de suas atividades em 2009. O PSE tem como objetivo principal a Promoção à Saúde no âmbito escolar. Este programa propõe uma parceria, escola e Unidade Básica de Saúde da Família (UBSF), dentro de uma mesma área de abrangência para elaborar e implantar suas atividades conjuntamente. Em Manaus, até o final do ano de 2011, houve a adesão de 37 escolas municipais, cujas atividades ocorrem em parceria com 49 unidades de saúde. Esta pesquisa descritivo-exploratório, com abordagem qualitativa foi desenvolvida em três escolas e quatro equipes de Unidades Básicas de Saúde da Família (UBSF), cujo objetivo geral foi analisar o PSE a partir da percepção dos agentes sociais envolvidos. Participaram da pesquisa 33 sujeitos, sendo 21 alunos, 20 do 5º ano do ensino fundamental e 01 do 4º ano ; de 9 a 13 anos de idade; de duas escolas atuantes no PSE e 12 profissionais, gestores do comitê gestor de educação e de saúde (2); diretores das escolas (3); profissionais da educação (3); e profissionais de saúde (4). Para os profissionais aplicou-se uma entrevista semiestruturada e para os alunos foi utilizado um questionário com questões abertas. As informações coletadas foram submetidas a análise de conteúdo proposto por Bardin (2004). Os resultados obtidos junto aos profissionais indicam a percepção de problemas comuns de saúde dos alunos como cáries dentárias, problemas dermatológicos, nutricionais ou carenciais e parasitoses. Nesse sentido a maioria dos profissionais reafirma a importância do PSE com destaque de prevenção, e apenas um deles define o programa como ação de âmbito mais abrangente e integral no campo da promoção da saúde. Os profissionais ainda notificam muitas dificuldades que impedem a efetivação e eficácia do programa, entre elas a falta de parceria familiar, pouca logística, falta de capacitação dos profissionais de saúde e baixo apoio dos docentes. Como aspectos positivos são apontados a integração unidade de educação e unidade de sáude; a integração escola e aluno bem como a possibilidade de aquisição recursos educativos e equipamentos de saúde. Há um consenso de que o PSE deva ser ampliado e repensado para melhor eficácia. Entre os alunos os resultados apontam a percepção de que o PSE é apenas uma atividade escolar onde aprenderam principalmente a ter uma boa saúde bucal. Apresentou-se como impacto de vida do cotidiano de alguns estudantes: mudança de hábitos e socialização para os seus familiares, outros não apresentaram nenhuma mudança. Conclui-se diante dos resultados que o PSE ainda não se consolidou como programa de saúde na escola, limitando-se a atividades pontuais, necessitando de um maior envolvimento de todos os atores sociais envolvidos .
Abstract: For some decades now, schools have been considered a prime setting for health-promoting actions. In Brazil, the Health in School Program (PSE) was instituted by presidential decree no. 6,285, from December 5, 2007. In the county of Manaus, adherence to this program took place in 2008, with activities beginning in 2009. The PSE s main objective is promoting health within the school environment. This program proposes a partnership between schools and the Basic Units of Family Health (UBSF) within the same are of coverage to develop and implement the activities together. In Manaus, by the end of 2011, 37 county schools had adhered to this program, with activities carried out in partnerships with 49 health units. This descriptive-exploratory research, using a qualitative approach, was carried out in three schools and four UBSF teams based on the perception of the social agents involved. 33 subjects participated in the research, 20 of whom were 5th grade elementary students and 01 were 4th grade , aged between 9 and 13, from two schools which were active in the PSE, and 12 professionals, 2 administrators from the education and health administrative committee, 3 school directors, 3 educational professionals, and 4 health professionals. With the professionals, we used a semi-structured interview, and with the students we used a questionnaire with open and multiple-choice questions. The information collected was submitted to a content analysis as proposed by Bardin (2004). The results obtained from the professionals indicate the perception of common problems in students health, such as caries, dermatological problems, nutritional or carenciais and parasitic infections. In this sense, most professionals reaffirm the importance of the PSE, especially in prevention, and only one of them defines the program within the broader and more integral area of the field of health promotion. In this sense the professionals still indicate many difficulties which impede the effectiveness of the program, among these the lack of family partnerships, faulty logistics, the lack of well qualified health professionals, and low support among teachers. As positive aspects, they indicate the integration between the education unit and the health unit, the integration between school and student, as well as the possibility of acquiring educational resources and health equipment. There is a consensus that the PSE should be extended and rethought for greater efficiency. Among the students, the results indicate the perception that the PSE is simply a school activity where they learn mainly how to have good oral health. It did show up as having an impact on some student s daily routines change of habits and socialization with family members but others showed no change. We conclude, based on this data, that the PSE has not yet been consolidated as a health program within schools, limited to specific activities, in need of a greater involvement of all social actors involved.
Palavras-chave: Saúde na escola
Crianças e adolescentes
Promoção da saúde
Health school
Children and teens
Health promotion.
Área(s) do CNPq: CIÊNCIAS DA SAÚDE: SAÚDE COLETIVA
Idioma: por
País: BR
Instituição: Universidade Federal do Amazonas
Sigla da instituição: UFAM
Departamento: Faculdade de Medicina
Programa: Programa de Pós-graduação em Ciências da Saúde
Citação: UCHOA, Rita de Cássia Matos de Figueiredo. O Programa Saúde na Escola sob o olhar dos Gestores, Educadores e Participantes: Um estudo no município de Manaus. 2012. 60 f. Dissertação (Mestrado em Ciências da Saúde) - Universidade Federal do Amazonas, Manaus, 2012.
Tipo de acesso: Acesso Aberto
URI: http://tede.ufam.edu.br/handle/tede/3412
Data de defesa: 29-Mar-2012
Aparece nas coleções:Mestrado em Ciências da Saúde

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
Dissertação - Rita de Cassia.pdf817,53 kBAdobe PDFThumbnail

Baixar/Abrir Pré-Visualizar


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.