???item.export.label??? ???item.export.type.endnote??? ???item.export.type.bibtex???

Please use this identifier to cite or link to this item: http://tede.ufam.edu.br/handle/tede/2601
???metadata.dc.type???: Dissertação
Title: Condições ambientais e transmissão de malária e dengue: um estudo das percepções dos moradores do entorno sul da Reserva Florestal Ducke - Manaus-AM
???metadata.dc.creator???: Santos, Carlos Henrique Ferreira 
???metadata.dc.contributor.advisor1???: Higuchi, Maria Inês Gasparetto
???metadata.dc.description.resumo???: A pressão antrópica sobre áreas florestais, além de ser um problema ambiental, insere problemáticas sociais de primeira ordem, desde sua origem até as conseqüências dela. Sendo as áreas sociais elementos de vida abundante, cujo ecossistema se dinamiza em uma ordem própria, qualquer alteração nele afeta significativamente todos os demais ecossistemas circundantes, e de modo especial as populações humanas. Assim, esse estudo se caracteriza pela interface ambiente e saúde, tendo como lócus da pesquisa populações que residem nas imediações da Reserva Florestal Ducke, com um milhão de hectares situada ao norte da cidade de Manaus-AM. A RFD se encontra quase isolada da floresta continua, devido a intensa ocupação principalmente nos limites sul, onde a cidade literalmente encosta na sua fronteira. Desse modo, o objetivo principal nesse estudo foi desvendar as dimensões subjetivas, a partir da percepção dos moradores sobre os aspectos ambientais presentes na produção da doença de transmissão vetorial, particularmente a malária e a dengue. As doenças de transmissão vetoriais são responsáveis por elevados índices de mortalidades. Seus vetores são insetos, cuja reprodução está associada à ocupação e devastação de áreas florestais. Utilizou-se nesta pesquisa qualitativa exploratória descritiva, dois métodos: observação participante e entrevistas semi-estruturadas. Participaram desse estudo 30 adultos (homens e mulheres), que residiam no local há pelo menos dois anos, com ou sem histórico dessas doenças. As observações feitas mostraram que as condições ambientais da área de estudo eram propícias a proliferação e reprodução dessas doenças de transmissão vetorial. Os resultados sobre a percepção dos moradores acerca das duas doenças demonstraram que a maioria deles as representa através dos sintomas que acometem as pessoas. A malária é mais percebida pelos moradores por manifestações dos vetores e dos sintomas conjuntamente (34%), enquanto a dengue é caracterizada pela maioria dos moradores apenas pelos sintomas (50%). Os entrevistados também associaram o mosquito da malária, assim como a doença, como originários da Mata , ou seja, ambiente natural como a RFD. Por sua vez, a dengue e seu transmissor foram relacionados com água parada , proveniente do acumulo em objetos na área urbana. As percepções sobre as práticas de prevenção dessas doenças mostraram que produção de fumaça (40%) e distanciamento da Mata (30%), predominaram para prevenção da malária, entretanto, as práticas utilizadas para prevenção da dengue foram a limpeza da casa e dos objetos (46%) e uso de redes de proteção (27%). Portanto, esse estudo mostra uma percepção distinta dos moradores para as duas doenças e ressalta a importância desse conhecimento sobre a malária e a dengue das comunidades em ambiente de risco, mostrando a necessidade de se incorporar um diálogo das políticas públicas com as práticas desta população. Utilizando as percepções como subsídio para que existam práticas de controle e prevenção destas doenças de transmissão vetoriais mais eficientes e eficazes, assim como promover a saúde, tendo a população destes ambientes como agentes participantes das ações de saúde e não apenas espectadores da atuação pública.
Abstract: The antropic pressure on forest areas, besides being an environmental problem, inserts first order social problems from its origin up to its consequences. Social areas are elements of abundant life, were ecosystem gets its own order and changes on it affects all other surrounding ecosystems, in special way, human population. So, these study characterize the interface environment and health, with adjacent Ducke Forest Reserve (DFR) populations asresearch locus. DFR is an one million hectares reserve situated at north of Manaus-AM and isalmost isolated from continues forests due to intense occupation, specially in the south limitswhere the city literally pulls in its frontier. Thereby, my study main objective in this study was to solve the subjective dimensions from residents perceptions of the environmental aspects related to diseases of vectorial transmission, particularly malaria and dengue. Diseases of vectorial transmission are responsible for elevated mortality rates. Its vectors are insects, which reproduction is associated to the occupation and devastation of forest areas. In this qualitative exploratory descriptive research, I used two methods: participant observations and semi-structured interviews. The interviewee were 30 adults (men and women) residing in the place for at least two years, with or without historical of these diseases. My observations showed that the environmental area conditions were favorable to the proliferation and reproduction of these diseases. The results from the residents perception about both diseases demonstrated that most of interviewee identify it through its symptoms. 34% of the residents notice malaria by both vectors manifestations and its symptoms, while 50% notice dengue only by symptoms. The interviewee associated malaria mosquito, as well as the disease, as original from the "Forest", in other words, DFR natural environment. Whereas, dengue and its vector were related to stagnant water , accumulating in urbane area objects. The perceptions on prevention practices of these diseases showed smoke production (40%) and distance from Forest (30%) as predominant for malaria prevention, meantime, the prevention practices used for dengue were house and object cleaning (46%) and nets protection use (27%). Therefore this study shows distinct residents perceptions for both diseases and it emphasizes the importance of communities knowledge about malaria and dengue in risky areas. It shows the necessity of incorporating public politics dialog to the population practices. Using perceptions as subsidy, with population of those environments as participants agents of health actions and not only as audience of the public acting, control practices and prevention of these diseases will become more efficient, as well as health promotion.
Keywords: Saúde
Malária
Dengue
Ambiente
Percepção
Health
Malaria
Dengue
Environment
Perception
???metadata.dc.subject.cnpq???: CIÊNCIAS AGRÁRIAS
Language: por
???metadata.dc.publisher.country???: BR
Publisher: Universidade Federal do Amazonas
???metadata.dc.publisher.initials???: UFAM
???metadata.dc.publisher.department???: Faculdade de Ciências Agrárias
???metadata.dc.publisher.program???: Programa de Pós-Graduação em Ciências do Ambiente e Sustentabilidade na Amazônia
Citation: SANTOS, Carlos Henrique Ferreira. Condições ambientais e transmissão de malária e dengue: um estudo das percepções dos moradores do entorno sul da Reserva Florestal Ducke - Manaus-AM. 2009. 109 f. Dissertação (Mestrado em Ciências do Ambiente e Sustentabilidade na Amazônia) - Universidade Federal do Amazonas, Manaus, 2009.
???metadata.dc.rights???: Acesso Aberto
URI: http://tede.ufam.edu.br/handle/tede/2601
Issue Date: 13-Jul-2009
Appears in Collections:Mestrado em Ciências do Ambiente e Sustentabilidade na Amazônia

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
DISSERTACAO CARLOS HENRIQUE SANTOS.PDF6.29 MBAdobe PDFThumbnail

Download/Open Preview


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.